Moda masculina

Exotismo da África e da Índia inspira desfiles de moda masculina de Paris

Getty Images
O colorido da Índia apareceu na coleção Verão 2017 de Issey Miyake Imagem: Getty Images

23/06/2016 18h54

Das estampas de animais e couros da África de Louis Vuitton até a Índia de Issey Miyake, a moda masculina buscou inspiração no exotismo nesta quinta-feira (23), em Paris.

Minimalismo natural de Issey Miyake
No cenário contemporâneo da Universidade de Ciências, Issey Miyake levou a banda japonesa Kikagaku Moyo, que misturou rock, acid folk e música indiana para apresentar a coleção criada por Yusuke Takahashi.

O japonês acostumou seus seguidores com suas peças policromáticas, mas dessa vez começou o desfile apostando em conjuntos em branco, preto e azul e, no final, voltou às raízes e fez uma "festa de cores" primaveril, no estilo das celebrações Holi da tradição hindu.

É uma moda muito envolvente, tendência que marcou outras passarelas em Paris com elementos dos trajes tradicionais e peças de origem exótica, muitas vezes incluindo o estilo islâmico, como no desfile da Lemaire.

Na Issey Miyake, a inspiração chega da cidade de Varanasi, com o estilo minimalista dessa região da Índia. Uma elegância sensível e leve, com texturas naturais e efeitos enrugados, para um homem por vezes urbano e por outras próximo do meio ambiente.

Getty Images
Tons de bege, chocolate e cáqui permitiram ao diretor artístico da Louis Vuitton Homme, o britânico Kim Jones, reviver imagens de sua infância no Quênia e em Botsuana. Imagem: Getty Images

A África com Louis Vuitton
Os 30 graus de temperatura à sombra que imperavam nesta quinta-feira (23) na capital francesa caíram com uma luva na hora de recriar o exotismo africano para o desfile da Luis Vuitton, marca de produtos de couro que fez da viagem uma característica própria.

Entre os convidados no Palais Royal, na primeira fila estavam David Beckham e Kate Moss.

A coleção apelou para couros exóticos e tons de bege, chocolate e cáqui, que permitiram ao diretor artístico da Louis Vuitton Homme, o britânico Kim Jones, reviver imagens de sua infância no Quênia e em Botsuana.

Com sandálias esportivas, o viajante usa uma camisa de seda e jaqueta 'saariana'. Nas estampas aparecem cabeças de rinoceronte e girafas, também presentes em carteiras.

Kim Jones trouxe também toques de punk londrino para apimentar o desfile, com zíperes em calças justas, ganchos em formato de alfinete e tons de vermelho e azul elétrico que contrastavam com o preto dos pulôveres de lã mohair.

Getty Images
Para a nova coleção, Rick Owens se inspirou no processo de evolução pelo qual todos os animais passam Imagem: Getty Images

Rick Owens e a evolução
Rick Owens fez sua coleção sob o signo da evolução, processo pelo qual os animais, incluindo o Homo sapiens, se transformaram e adaptaram às mudanças ou desapareceram.

"Lidando tranquilamente com as transições inevitáveis" é a postura do estilista norte-americano na hora de enfrentar um mundo desafiante, em constante mudança e por vezes hostil.

Para isso propõe uma coleção muito envolvente, o que já faz parte de seus códigos, mas dessa vez arriscou a sofisticação de efeitos drapeados que por vezes lembram as estátuas da Antiguidade. O estilista americano invocou a arte da francesa Madame Grès, morta em 1993, rainha do drapeado, como fonte de inspiração.

As calças são muito amplas e tão longas a ponto de dificultar o caminhar, como confirmaram vários modelos que tropeçaram durante o desfile.

Uma italiana à frente da Dior?
A Semana de Moda masculina Verão 2017 acontece até domingo em Paris e então passa o bastão para a Alta-costura Inverno 2017, de 3 a 7 de julho.

Algumas das grandes marcas estão em plena transformação, como a Balenciaga, que estreou nessa quarta-feira (22) na moda masculina após a chegada a seu ateliê do georgiano Demna Gvasalia, substituindo Alexander Wang.

Já a maison Dior ainda não anunciou o sucessor de Raf Simons, mas a revista especializada "WWD" cita a italiana Maria Grazia Chiuri como provável futura diretora artística do setor de moda feminina.

Chiuri dirige desde 2008 a criação artística da Valentino, junto com Pierpaolo Piccioli. A italiana seguiria os passos de uma verdadeira dinastia de estilistas à frente da maison fundada por Christian Dior: Yves Saint Laurent, Marc Bohan, Gianfranco Ferré, John Galliano e Raf Simons.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

UOL Mulher - Moda
Bloomberg
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Glamurama
Band SP Interior
Folha de S.Paulo
Bloomberg
Bloomberg
Site RG
AFP
Moda
Moda
Glamurama
Glamurama
do UOL
Vírgula - Moda e Beleza
Glamurama
Moda
AFP
ANSA
do UOL
UOL Estilo
RedeTV!
do UOL
Moda
Glamurama
Glamurama
AFP
AFP
AFP
AFP
AFP
ANSA
Redação
do UOL
Glamurama
Moda
Moda
Topo