Moda

França vota lei para punir incitação à anorexia

11/04/2008 12h29

O parlamento francês vai votar, na semana que vem, uma lei que prevê punição à incitação à anorexia. As penas vão de multas equivalentes a cerca de R$ 80 mil até dois anos de prisão.

O texto visa principalmente os sites e blogs que fazem apologia da magreza excessiva.

O movimento conhecido como "pró-ana" (pró-anoréxico) surgiu nos Estados Unidos e vem ganhando força na França nos últimos dois anos.

Nesse sites e blogs, garotas trocam informações sobre como se tornar anoréxicas, provocar vômitos após ingerir alimentos e divulgam fotos de modelos extremamente magras como referência ao peso ideal que elas devem atingir.

As "pró-ana" afirmam que a anorexia "não é uma doença, mas sim um modo de vida".

Entre os "dez mandamentos pró-ana", estão, por exemplo, "você não comerá sem se sentir culpada" e "se você não é magra, você não é atraente".

"Os movimentos pró-ana, que difundem na internet suas mensagens de morte, serão objeto de uma vigilância particular das autoridades", declarou a ministra francesa da saúde, Roselyne Bachelot.

No final de 2007, quatro blogs desse tipo foram fechados na Espanha.

Diversidade corporal
As mortes de modelos brasileiras anoréxicas, em 2006, tiveram grande repercussão na Europa e levaram o governo francês a discutir o assunto com profissionais do setor.

Na quarta-feira (9/4), foi firmado um compromisso com os profissionais do mundo da moda e da publicidade, que prometeram em um documento "defender a diversidade do corpo humano e não estigmatizar as diferenças físicas".

A "Carta contra a anorexia e a imagem do corpo" é um conjunto de intenções para difundir a aceitação da "diversidade corporal" e também divulgar informações a fim de combater os ideais de magreza excessiva.

"Nos comprometemos, em nossas atividades, a promover a diversidade da representação do corpo, com o objetivo de evitar estereótipos que possam criar ideais estéticos potencialmente perigosos para certas populações frágeis", diz o documento firmado por profissionais da moda e da publicidade com o governo.

O Ministério Francês da Saúde estima que existam entre 30 mil e 40 mil anoréxicos no país, sendo 10% deles homens.

No ano passado, uma campanha publicitária anti-anorexia realizada pelo fotógrafo Oliviero Toscani com uma modelo francesa de apenas 31 quilos foi proibida na Itália e na França.

A lei que prevê inserir no Código Penal francês penas para a apologia à anorexia já provoca polêmica no mundo da moda.

"Não será com leis que vamos resolver esse problema e sim com iniciativas de informação", disse o costureiro Jean-Paul Gaultier.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Ana Aoun
do UOL
UOL Mulher - Moda
AFP
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Ana Aoun
do UOL
do UOL
Estadão Conteúdo
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Ana Aoun
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
Topo