Moda

Christian Cota e Rolando Santana representam México na Semana de Moda de NY

17/02/2011 11h58

Nova York (EFE).- O México esteve representado nesta quarta-feira (16) na semana de moda de Nova York por Christian Cota, que desde 2007 se firmou nesta indústria, e Rolando Santana, uma figura emergente.

Os dois apostaram na elegância em suas apresentações para a mulher na coleção outono-inverno.

"Terra incógnita" é a coleção com a qual Cota estreou no circuito oficial da semana de moda no Lincoln Center, com 40 peças compostas por calças, sobretudos longos e curtos, vestidos e saias longas, todos com cortes assimétricos.

"Nesta temporada, me inspirei um pouco mais no dia, deixando a noite para trás. Ainda tenho as peças com drapeados com as quais comecei. Queria que a mulher desta temporada se centrasse no exterior e na vida diária", disse o estilista à Agência Efe.

Cota optou pelas cores terra, vermelho-vivo, dourado, verde, cinza e bege, misturadas a elementos inspirados no Tibete, com a proposta de as mulheres se vestirem com peças para o ar livre na temporada de inverno - "cobertas, mas cômodas" - acompanhadas por sapatos planos.

"Inspirei-me muito na roupa utilizada para fazer alpinismo. A musa desta temporada é uma mulher muito mais aventureira, que gosta da natureza. O espírito é mais prático, embora também haja muitos elementos de glamour", disse Cota, que pela primeira vez usou peles, que combinou com lã e outros tecidos.

O estilista assegurou que apesar de sua coleção estar dirigida mais para o dia, segue pensando em uma mulher que gosta de se ver bem o tempo todo.

Já seu compatriota Rolando Santana apresentou sua coleção com muitos vestidos de tons escuros de corte clássico sobre o joelho, nos quais o toque sensual foi dado pelos decotes, tanto nas costas como na parte da frente.

"Usar silhuetas clássicas é uma forma de trazer o glamour dos anos 40 e 50 a 2011. Acho que as mulheres buscam uma volta do clássico", disse Santana.

O mexicano se inspirou no pintor Philip Guston, uma das figuras centrais do expressionismo abstrato americano na década de 50.

"Quero que minha coleção alcance mais público e é importante ter todas [as mulheres] em mente", disse o estilista à Efe.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
RedeTV! Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Bloomberg
do UOL
UOL Mulher - Moda
RedeTV! Entretenimento
RedeTV! Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
Topo