Moda

Galliano alegará alcoolismo no julgamento por comentários antissemitas

Getty Images
John Galliano em evento de moda (18/09/2010) Imagem: Getty Images

22/06/2011 09h31

Paris, 22 jun (EFE).- O estilista John Galliano alegará uma "tripla dependência" de álcool, psicotrópicos e soníferos como circunstância atenuante da acusação de comentários antissemitas pela qual será julgado nesta quarta-feira em um tribunal de Paris, revelou seu advogado.


Aurélien Hamelle, advogado de Galliano, explicou na emissora "France Info" que a defesa apresentará o relatório de um médico legista especialista em dependências que indica que, por conta dessas dependências, o estilista "não era dono de suas palavras" quando insultou várias pessoas em um bar de Paris.

Esses vícios geram "uma ausência de controle" do que se faz e se diz. "As pessoas não dizem o que pensam, dizem coisas sem sentido que não querem dizer, e ocorrem delírios, alucinações", relatou o advogado.

Essas circunstâncias teriam levado o estilista a proferir insultos antissemitas e racistas a um casal sentado ao lado dele no bar "La Perle", no bairro do Marais, na capital francesa, de onde a Polícia o levou detido em fevereiro.

Após a difusão de um vídeo na internet no qual se via Galliano insultando clientes, a marca Dior decidiu abrir mão de seus serviços.

Além dessas dependências, a defesa apresentará depoimentos de pessoas que trabalharam com Galliano durante sua carreira como estilista e que atestarão seu "apego à diversidade, à diferença, às diferentes cores de pele", indicou Hamelle.

As testemunhas também dirão que o estilista trabalhou com pessoas de "todas as religiões, incluindo judeus".

Os argumentos, no entanto, não convenceram o advogado de uma das denunciantes, Yves Beddouk, que afirmou na mesma rádio que, "quando se tem uma grande reputação, também se tem uma grande responsabilidade e é preciso prestar mais atenção ao que se diz".

No dia 2 de março a Promotoria de Paris o acusou de "insultos públicos contra pessoas por sua origem, pertinência ou não a uma religião, raça ou etnia, proferidas contra três vítimas identificadas".

A audiência do julgamento, que acontecerá nesta quarta-feira no Tribunal Correcional de Paris, deixará o caso visto para sentença, que será pronunciada em duas semanas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
Opiniões Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo