Beleza

Compra de cosméticos pela internet cresce 22 pontos percentuais em dois anos

22/08/2011 09h46

SÃO PAULO – Mais de 90% dos internautas brasileiros já compraram produtos no e-commerce. Entre os produtos mais procurados estão os cosméticos, cuja venda online cresceu 22 pontos percentuais nos últimos dois anos, saltando de 29% em 2009, para 51% em 2011.

De acordo com o coordenador do 2º Estudo Global do Neoconsumidor da GS&MD – Gouvêa de Souza, Luiz Goes, “a consolidação do canal e-commerce está mudando o comportamento de consumo dos consumidores”, explica.

Mesmo com o aumento das vendas desses produtos nas lojas virtuais, as lojas físicas se mantiveram na preferência dos consumidores de cosméticos. Tanto em 2009 quanto em 2011, 91% dos internautas compravam cosméticos em lojas físicas. “Apesar do grande crescimento, a loja física ainda é a grande preferência do consumidor”, explica Goes.

Online x offline
No setor de eletrônicos, enquanto as vendas online cresceram, de 56% para 76%, nas lojas físicas houve queda de seis pontos percentuais, caindo de 94% para 88% em 2011. “Apesar das lojas físicas ainda terem espaço, o consumidor está incorporando em sua vida a compra online”, afirma o coordenador.

Na categoria que reúne vestuário, calçados e acessórios, as compras pela internet cresceram, de 22% em 2009 para 43% em 2011. Nas lojas físicas, a busca pelos mesmos produtos teve redução de cinco pontos percentuais, caindo de 98% para 93%, em 2011.

Os alimentos também apareceram entre os produtos comprados pelos consumidores brasileiros no e-commerce. Em 2009, 28% dos brasileiros compravam esse tipo de produto pela internet; em 2011, foram 34% que afirmaram ter esse hábito. Nas lojas físicas houve queda de cinco pontos percentuais, passando de 97%, em 2009, para 92%, em 2011.

Perspectiva
No primeiro semestre de 2011, o e-commerce brasileiro teve crescimento de 24%, se comparado ao mesmo período de 2010. “Em 2011 esperamos um crescimento de 40% no e-commerce, em relação a 2010”, afirma Goes.

Apesar de esperar crescimento das lojas virtuais, o coordenador explica que esse cenário não deve influenciar negativamente nas lojas físicas. “Mesmo com o crescimento das lojas virtuais, não é previsto o desaquecimento nas lojas físicas”, completa.

Para Goes, mesmo sem risco de desaquecimento, a tendência é de que as lojas deverão trabalhar multicanais. “As lojas [físicas] terão de trabalhar com alguns outros caminhos, como comprar no e-commerce e retirar na loja física mais próxima”, aconselha.

Na perspectiva para 2012, “é esperado um crescimento de 30% no e-commerce, em cima de 2011”, afirma Goes.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
BBC
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Moda
do UOL
Moda
do UOL
do UOL
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Rodrigo Cintra
Blog Luciana Bugni
Beleza e maternidade
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Erratas
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Beleza
do UOL
UOL Mulher - Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Erika Bronze
Blog Luciana Bugni
Blog do Rodrigo Cintra
Da cor do Brasil
do UOL
Topo