Moda

Moda praia investe em exportação e roupas para driblar baixa temporada

FERNANDA SCHIMIDT

Enviada especial ao Rio

13/01/2011 13h50

Fora das passarelas nesta temporada carioca de desfiles, a moda praia comercial não deixa de ser fabricada, exposta ou vendida para o Inverno 2011. No Fashion Business, evento voltado para lojistas e concorrente do Rio-à-Porter (salão de negócios do Fashion Rio), por exemplo, marcas do nicho litorâneo procuram driblar a baixa temporada e manter a rotatividade de sua produção, ainda que em um fluxo menor, é claro.

“Não é que moda praia não vende no inverno, existe um peso diferente. É 30% [do total das vendas do ano]”, disse Maria Luiza Macedo, diretora comercial da Vix, grife da capixaba Paula Hermmanny, sediada em San Diego, na Califórnia, que conta com 1.900 pontos de venda pelo mundo e desenvolve modelos para a Victoria’s Secret.

Segundo a estilista Despina Filios, da marca petropolitana Despi, “é muito difícil para uma fábrica, com custos fixos anuais, vender só em uma estação”. Até o último ano, Despina supria este período de demanda mais escassa no Brasil exportando para os setentrionais Estados Unidos, Europa e Japão, todos em pleno verão. Neste inverno, a estilista resolveu criar sua primeira coleção como complemento às vendas para o exterior, que arrematam 70% de sua produção. “Em Estados como o Rio de Janeiro, você tem a praia bem na sua frente. É impossível de resistir”, disse ela.

Para a grife carioca Lenny, que tem no Brasil seu maior público consumidor, a saída encontrada durante os meses de clima fresco é investir nas roupas, que nesta coleção incluem calças, blusas, camisas, vestidos e até um trench coat, de tecido mais leve, pensado para o inverno ameno de boa parte do país. “Fazemos uma coleção mais curta, com 60% de roupa e 40% de moda praia. No verão, a proporção é invertida”, disse Márcia Parreiras, diretora da Lenny.

Esta também tem sido a aposta da Vix, que há dois anos procura ampliar sua oferta de saídas de praia especialmente para as consumidoras brasileiras, explicou a diretora comercial da marca. “Estamos fazendo mais ‘cover ups’ para atender as multimarcas que não vendem moda praia. Não precisa ter twin set nem calça de alfaiataria, é só dar um uso diferente para as peças. Você pega [uma saída de praia] e coloca com uma calça jeans, por exemplo, e pode sair na cidade”, disse ela.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
Opiniões Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo