Moda

Relógios casuais e esportivos voltam à moda em versões sofisticadas

RICARDO OLIVEROS

Colunista do UOL

21/11/2011 07h00

Depois de um período em que foi deixado um pouco de lado por culpa dos celulares (muitos homens passaram a usar o aparelho para ver as horas), o relógio volta a ocupar posição de destaque entre os objetos de desejo de consumo masculino.

Símbolo de "status" para alguns, acessório funcional para outros, peça de design que complementa o estilo pessoal para os mais antenados, o relógio do momento é uma releitura sofisticada dos modelos esportivos tão populares entre os homens. O problema é que no passado, o modelo extremamente informal não era tirado dos pulsos masculinos para nada, nem em situações mais formais, o que acabava por desvalorizar, o invés de valorizar o visual.

MERCADO

As fábricas de relógios no período de janeiro a maio deste ano foram responsáveis por US$ 274,3 milhões em vendas e representaram um crescimento de 71,62% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Um dos fatores deste superávit é que marcas conhecidas mundialmente estão sendo produzidas nesta região, o que fez com que os preços de mercado fossem reduzidos. 

O resultado poderia ser ainda mais expressivo caso a pirataria no setor não fosse tão grande. Para se ter uma ideia, os relógios ocupavam a quarta posição no ranking dos produtos mais falsificados para venda no país, de acordo com a pesquisa da Fercomércio-RJ feita junto a mil domicílios de 70 cidades do Brasil sobre os produtos piratas mais adquiridos no país em 2009. 

NOVOS MATERIAIS

Este formato de relógio ao mesmo tempo sofisticado e esportivo ganhou impulso com o uso de novos materiais como cerâmica, alumínio, revestimento emborrachado, pela mistura de metais considerados clássicos com outros esportivos. O design também avançou nesta direção, criando modelos que por um lado simplificam as funções dos esportivos e por outro fazem com que os clássicos ganhem ares casuais. O emprego de cores também colaborou para a criação de linhas que ficam no meio termo entre peças casuais e formais, por meio de tons mais sóbrios como o preto. 

Quem ganhou com isso foi o consumidor, que além de uma maior variedade de relógios, terá mais opções de uso e menos possibilidades de erro ao combiná-los com as diferentes ocasiões e roupas no seu dia a dia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Moda
Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo