Moda

Estilo Daspu ganha fôlego em parceria com designers de moda

Felipe Varanda/UOL
Look apresentado no desfile da coleção Verão/09 da Daspu Imagem: Felipe Varanda/UOL

Por MariaPia Palermo

13/06/2008 10h34

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As cores das camisinhas deram o tom às criações da grife de prostitutas Daspu, que apresentou na noite de quinta-feira a coleção de verão 2009, "Cruzadas, entre o Botão e a Espada", desta vez elaborada em parceria com um grupo de profissionais da moda.

Inspirados nelas e "no conceito de rua", os modelos foram desenvolvidos por integrantes do Curso de Design de Moda da Universidade Fumec, de Belo Horizonte.

A coleção renovou a bandeira de "mudar atitudes", com imagens e frases que fazem referência às prostitutas e exploram a sensualidade. A coroa reinou nas estampas e, por vezes, vinha com a inscrição "PU" na base.

"A coroa representa o universo da rainha e quando a imagem é virada se transforma no peito, que faz parte do corpo. E o universo delas está no corpo", disse a diretora do curso de Design de Moda da Fumec, Gabriela Ferreira Torres.

A experiente Maria Nilce, profissional do sexo que integra os desfiles desde a estréia da Daspu, abriu a noite com um minivestido cinza e preto, num estilo mais sóbrio, que logo foi se desfazendo com modelos coloridos, curtos e decotados.

Pink e verde-limão prevaleceram, lembrando as camisinhas, mas o vermelho também foi soberano. Camisetas e vestidos de malha, frequentes desde a fase inicial da grife, permanecem, mantendo o espírito combativo.

"Dentro do contexto de batalha, buscamos frases entre elas, adaptamos trocadilhos, fizemos referências à postura que adotam na rua e exploramos frases que aumentam a auto-estima, como a Daspu vem fazendo desde o início", explicou Rangel Malta, 27, formado em design gráfico e integrante do grupo que criou os modelos.

O desfile, no circuito off-Fashion Rio, foi na quadra da Unidos da Tijuca, e o casamento Daspu-samba teve o ponto alto nas mãos da modelo Nana Gouvêa, habitué do Carnaval carioca. Com coletinho e short pretos, com a coroa da grife aplicada em dourado, Nana esquentou a passarela ao tirar a parte de cima da roupa e cobrir os seios com as mãos e o longos cabelos.

A grife de prostitutas Daspu, criada pela organização não-governamental Davida em 2005, gera recursos para projetos sociais da entidade. A ONG, coordenada por Gabriela Leite, é destinada a prostitutas e clientes, atuando na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e Aids.

A "cruzada", segundo a ONG, "reflete a batalha Daspu, onde prostitutas e simpatizantes são modelos de resistência, de identidade e de afirmação, criando moda para criar respeito e auto-estima, sem perder a sedução, o humor e a ironia da grife".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Opiniões Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo