Comportamento

Escolas terão bebês em sala de aula para combater bullying

New Stevenson/Divulgação
Bebê Chloe Bell na escola de ensino fundamental imagem: New Stevenson/Divulgação

Escolas de ensino fundamental na Escócia usarão bebês em salas de aulas como parte de uma iniciativa para reduzir o grau de agressividade e bullying entre os alunos.

O programa Roots for Empathy (raízes para a empatia) visa proporcionar aos alunos uma melhor compreensão de seus sentimentos e os dos outros.

Mais de 150 bebês foram recrutados voluntariamente para o programa, que teve um piloto testado inicialmente na região escocesa de North Lanarkshire. Os pais acompanham os bebês nas salas de aula.

A meta é ampliar o programa para outras 15 escolas de ensino fundamental na Escócia.
A porta-voz da ONG britânica Action for Children, responsável pela implementação do programa no país, Louise Warde-Hunter, diz que a presença dos bebês "aumenta o nível de empatia entre os alunos, resultando em relações mais respeitosas e uma redução grande nos níveis de agressividade".

Avaliações independentes do programa feitas no Canadá, onde ele teve início e é aplicado há mais tempo, calculam que entre as crianças o nível de "aceitação do outro" teve um aumento de 74% e o da agressividade, uma redução de 39%.

O programa é endossado pela Organização Mundial da Saúde.
A responsável do Roots of Empathy, Mary Gordon, disse que "transformar o mundo de criança em criança pode ser uma missão ambiciosa, mas aqui na Escócia vem se beneficiando de uma ampla rede de apoio e conhecimento".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo