Estilo de vida

"Respeita as minas, p...!" Alunas da FGV divulgam vídeo contra o machismo

Do UOL

15/06/2017 11h15

Após denúncias dos alunos sobre racismo e machismo de professores dentro da FGV (Fundação Getúlio Vargas), em São Paulo, as alunas da instituição partiram para outro tipo de protesto - desta vez, ao som de "Respeita", da cantora Ana Cañas.

De acordo com pesquisa feita por alunas da FGV divulgada junto com o vídeo, estima-se que 69,6% das estudantes da instituição já foram vítimas de violência sexual, enquanto 75,3% das alunas já sofreram alguma forma de assédio sexual. A canção escolhida, conhecida pelo refrão "respeita as minas, p...!", reflete a discussão proposta pelo grupo: o comportamento visto na faculdade acaba se repetindo no mercado de trabalho.

"Em sala de aula, a voz dos alunos homens é bem mais escutada e bem menos interrompida. Alunas que se interessam por campos de estudo considerados 'masculinos' são desqualificadas por professores da casa. Outras se veem sozinhas em um curso onde a presença feminina não soma 20% da sala", diz o texto que acompanha o clipe. "Somamos casos de racismo e LGBTfobia, questionamos: a quem esse ambiente é acolhedor?"

O vídeo foi inspirado no clipe produzido pelas alunas da Escola Politécnica da USP em abril deste ano, onde elas rebatem mensagens preconceituosas que já tinham ouvido de alunos e professores do curso (clique aqui para assistir).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Estilo de vida

Topo