Estilo de vida

Diversidade: Google revela que busca por "feminismo" cresceu 200% em 2 anos

Getty Images
O interesse por temas ligados à diversidade cresceu no Brasil nos últimos quatro anos, de acordo com o Google Imagem: Getty Images

do UOL, em São Paulo

23/10/2017 13h26

O interesse do brasileiro por temas relacionados à diversidade, como o racismo, o feminismo e o universo LGBTQ+, cresceu nos últimos anos. A informação é do último dossiê do Google BrandLab, o braço de pesquisa da empresa, divulgado nesta segunda, 23.

Veja também

De acordo com a pesquisa, o crescimento de views em vídeos relacionados também a estes temas foi de 260% apenas nos últimos seis meses. A busca específica pelo termo "transgênero", que caiu na boca da população ainda mais ao longo da novela "A Força do Querer", aumentou em 123% no último ano.

O Youtube se fortaleceu como a casa da discussão destes temas. 600 mil conteúdos novos sobre diversidade subiram na plataforma também nos últimos seis meses. O tema mais taggeado entre eles "gordofobia"que aparece em 338 mil vídeos.

Poder feminino

As buscas pelo feminismo, especificamente, cresceram 200% nos últimos dois anos — o que colocou o tema no mesmo nível de interesse do racismo dentro da pauta de diversidade no país. As pessoas querem se informar sobre o que ele significa, afirma o Google. "Empoderamento feminino", um termo análogo, é quatro vezes mais buscado em 2017 do que em 2012.

No embalo, a procura de informação sobre "machismo" cresceu 163% em dois anos, enquanto o feminismo negro é 65% mais procurado hoje do que em 2016. No entanto, apesar de 54% dos millenials darem preferência á marcas com valores alinhados à diversidade, a empresa ainda vê um longo caminho pela frente para a discussão destes assuntos: hoje há seis vezes mais conteúdos sobre próteses de silicone do que aceitação e autoestima no Youtube.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Estilo de vida

Topo