Sexo

O que o consumo de pornografia diz sobre a sexualidade do brasileiro?

Getty Images/iStockphoto
Transexuais, relações bissexuais e lésbicas foram as categorias de filmes pornô mais buscadas pelos brasileiros Imagem: Getty Images/iStockphoto

Marcos Candido

Do UOL

29/01/2018 04h00

Transexuais, relações bissexuais e lésbicas. Segundo a plataforma on-line de conteúdo adulto Pornhub (que tem média de 81 milhões de visitas diárias), essas foram as categorias favoritas dos brasileiros na hora de consumir pornografia em 2017. Se o senso comum diz que “você é o que consome”, o que esses fatos revelam sobre a sexualidade do brasileiro?

Segundo os especialistas ouvidos pelo UOL, há duas possíveis explicações. A primeira é que, como a pessoa acessa anonimamente o site, pode satisfazer desejos que, à luz do dia, ficam guardados em função do medo de sofrer preconceito. A segunda é que o levantamento --divulgado em 9 de janeiro-- pode demonstrar uma abertura maior à experimentação sexual.

Veja também

Trans

Uma evidência é a predileção do brasileiro, segundo o Pornhub, por assistir pornografia com transexuais. Por aqui, assistiu-se 84% a mais de filmes dessa temática do que nos 20 países presentes no levamento. Em contrapartida, o Brasil lidera como a nação que mais mata pessoas transexuais no mundo.

Para a sexóloga Eliane Maio, esse comportamento é resultado do pouco diálogo sobre sexualidade nas famílias e no ambiente escolar.

“Falar de orientação sexual e, nesse caso, de identidade de gênero, ainda é permeado por tabus. Assim, tabus, por serem concepções truncadas, sem discussões assertivas, geram preconceitos e agressões, violências”, diz.

Por trás desse preconceito podem se esconder “desejos reprimidos”. “Uma forma de satisfazê-los seria a busca, solitária, de cenas sexuais com transexuais, para minimizar ou ‘aliviar’ os desejos que não podem ser expostos, pelo preconceito.”

Lesbianidade e bissexualidade

Em comparação aos mais de dez países da lista, o Brasil também assistiu 46% a mais de vídeos de sexo “bissexual”. A procura por “bissexual brasileiro”, inclusive, cresceu 280% em 2017, em comparação a 2016.

No Brasil, porém, a seção que une vídeos de sexo lésbico ainda foi a mais acessada pelo público no ano passado. E foram mais as mulheres, no mundo todo, que buscaram por esse tipo de conteúdo.

Para Victor Barreto, especialista em sexualidade e doutor em antropologia pela Universidade Federal Fluminense, os dados mostram que a indústria do sexo on-line, apesar de majoritariamente voltada a um público heterossexual masculino, tem sido repensada por consumidores mais diversos.

“Já é possível perceber toda uma recente produção pornográfica feita por e para mulheres, lésbicas, bissexuais ou não, e daquilo que podemos chamar da cultura ‘queer’ [menos apegada a orientações sexuais]”, avalia o pesquisador. E adiciona: “Não podemos julgar a internet somente como um grande ‘armário’. Ele também é um espaço de autoconhecimento e experimentação da sexualidade.”

Consumo de pornografia *

  • 35% dos brasileiros que acessaram ao Pornhub em 2017 foram mulheres, mas homens ainda são maioria, totalizando 65% das visitas;

  • 64% dos visitantes brasileiros tinham entre 18 e 35 anos;

  • Por aqui, o número de acessos via smartphone foi maior (64%) do que o número de visitas feitas pelo computador (32%);

  • Além das categorias citadas acima, o Brasil é um forte consumidor de produções pornôs em animação, os chamados "hentais". A justificativa utilizada pelo site é de que o Brasil é um dos países com maior concentração de japoneses fora do Japão, já que produções desse tipo costumam ter como origem o país oriental;

  • O ator Kid Bengala é o astro pornô mais popular no Brasil, seguido pelas atrizes norte-americana Alexis Texas e Mia Khalifa e pelas brasileiras Julia Paes e Vivi Fernandez

(Fonte: Pornhub Insights)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Blog da Regina
Redação
Blog Deu Match
Redação
Redação
Blog da Regina
Blog Deu Match
Redação
Redação
Redação
Blog Deu Match
Redação
Mayumi Sato
BBC
Redação
Redação
Redação
EFE
do UOL
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Mayumi Sato
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Mayumi Sato
Redação
do UOL
Mayumi Sato
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo