Bem-estar

4 razões para você começar a dormir pelado

iStock
Imagem: iStock

Do UOL

09/12/2016 17h24

Tirar a roupa antes de dormir pode ser uma estratégia para ter um sono mais profundo e ainda cuidar da saúde da região íntima. A seguir, especialistas explicam por que você deveria desapegar dos seus pijamas. Veja benefícios:

  • Mulheres evitam infecções na região íntima

    De acordo com a ginecologista Daniella de Batista Depes, do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, roupas íntimas abafam o local e predispõem à multiplicação de fungos e bactérias que causam as infecções. Por isso, passar a noite nua é uma boa estratégia para evitar candidíase, por exemplo. A depender do tamanho e modelo da calcinha escolhida para dormir --fio dental apertado, por exemplo--, ela também pode provocar irritação ou escoriações na vulva e no períneo.

  • Homens podem aumentar a produção de espermatozoides

    Usar cuecas muito apertadas ou até mesmo pijamas quentes pode elevar a temperatura dos testículos e afetar a fertilidade masculina. "O aquecimento do testículo atrapalha a produção e maturação dos espermatozoides. Eles se tornam menos numerosos, mais lentos e podem ocorrer até malformações neles", explica o urologista Alex Meller, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Dormir pelado ainda ajuda a manter a temperatura ideal para o funcionamento dos órgãos da bolsa escrotal, que é de 35°C --1,5°C abaixo da corporal.

  • Todos dormem melhor

    "Um bom sono não combina com muita estimulação sensorial, algo que a roupa colada no corpo pode provocar", explica o médico John Fontenele-Araujo, neurocientista da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte). A temperatura corporal também é muito importante para a qualidade do repouso. Ao sentir frio ou calor, despertamos ou ficamos em sono superficial, diz o neurocientista. Quando dormimos sem roupa, fica mais fácil ajustar a temperatura, usando um lençol leve ou um edredom mais pesado.

  • Diminui o estresse

    O sono mais profundo e reparador, por sua vez, diminui a liberação de hormônios relacionados ao estresse, como o cortisol, que pode prejudicar o sistema imunológico e aumentar o risco de doenças do coração, segundo Paulo Gustavo Ribeiro, doutorando em Endocrinologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Quantidades elevadas de cortisol também facilitam o acúmulo de gordura abdominal. Uma pesquisa da Universidade do Estado de Ohio, de 2014, apontou que o estresse, por sua vez, reduz o metabolismo de mulheres e faz com que elas queimem menos calorias após uma refeição. De acordo com o estudo, as mulheres com maiores níveis de cortisol gastaram cerca de 100 calorias a menos do que as outras nas horas seguintes à refeição.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Prem Baba
do UOL
Blog do Prem Baba
Redação
Blog do Prem Baba
Blog do Prem Baba
do UOL
Estilo
do UOL
Agência Estado
Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Notícias
do UOL
TV CARAS
do UOL
BBC
Redação
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
BBC
Folha de S.Paulo
do UOL
Casa e Decoração
Folha de S.Paulo
Corpo a Corpo
do UOL
Estilo
Estilo
do UOL
BBC
UOL TAB
BBC
BBC
Espelho Meu
Topo