Vida saudável

Experiência com ratos comprova tese de que comer à noite engorda

Omar Goncebat

Da Efe

31/12/2011 07h00

Para manter um peso corporal adequado e não engordar é preciso levar muito em conta os horários. Quem costuma ingerir mais alimentos no período noturno é mais propenso a ganhar peso, revela uma pesquisa da Universidade de Northwestern, em Illinois, nos Estados Unidos.

Pessoas que consomem mais da metade das calorias diárias após o jantar, ou que trabalham em turnos noturnos, tendem a engordar mais, porque "se alimentam no horário no qual o ritmo natural do corpo pede para dormir", explicam os autores do estudo, publicado na revista “Obesity”.

O trabalho, dirigido pelo pesquisador Fred Turek, autor principal do estudo, teve como foco o ritmo circadiano, uma espécie de relógio biológico que aponta quando é hora de dormir, acordar e comer ao longo das 24 horas do dia e que tem um papel importante no estudo da obesidade.

Para chegar à conclusão de que comer sem respeitar o ritmo circadiano metabólico facilita o surgimento da obesidade, os responsáveis da pesquisa estudaram durante seis semanas dois grupos de ratos, que seguiram uma dieta com alto conteúdo em gorduras: um durante as 12 horas do dia e o outro durante as 12 horas noturnas.

Após comparar o peso dos roedores antes e depois da experiência, e levando em conta que essas cobaias têm hábitos noturnos, Turek e sua equipe observaram que aquelas que se alimentavam de dia, o que equivale nos seres humanos a comer de noite, ganharam maior peso do que as outras.

Segundo os especialistas, a falta de sincronia com o ritmo circadiano induz os ratos a comer a mais e faz com que o gasto de energia seja menor, o que os faz engordar.

Diante do resultado dessa pesquisa, os autores opinam que "modificar os horários das refeições pode afetar enormemente o peso corporal, e isto pode ser o princípio do desenvolvimento de novas estratégias para combater a obesidade".

"Consumir a maior parte das calorias durante a noite e ter excesso de peso são coisas que frequentemente andam juntas, devido ao fato de que o metabolismo, ou seja, a velocidade do organismo para queimar calorias, é mais lento quando se está dormindo”, explica o médico Allan Geliebter, do Centro de Pesquisa da Obesidade, do Hospital Saint Luke's-Roosevelt, de Nova York.

Ataques à geladeira

Por essa razão, muito do que se ingere tarde da noite pode acabar sendo armazenado na forma de gordura no corpo. E o que é pior: uma vez que se começou a comer é mais difícil parar: os ataques a geladeira vespertinos e noturnos facilmente podem fornecer 500 calorias de uma só vez, sem que a pessoa se dê conta.

"Ao permitir-se comer em excesso, a pessoa cria um círculo vicioso: não só ingere calorias além do necessário, como dilata o seu estômago pela maior quantidade de comida que comeu, fazendo com que precise de mais alimentos para preenchê-lo, o que por sua vez o induzirá a novos exageros”, assinala Geliebter.

Pelo contrário - acrescenta o analista - "se a pessoa conseguir manter as refeições sob controle pode perder 500 calorias em uma noite, o que pode se traduzir em pelo menos 2 quilos depois de um mês.

A chave, sugere ele, é conhecer quais são os momentos mais perigosos para a dieta e como neutralizá-los, para romper o padrão de conduta.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
Blog Luiz Sperry
Cintia Cercato
Blog Bella Falconi
Blog do Prem Baba
do UOL
BBC
BBC
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
Agência Estado
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Nutrição sem neura
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Adriana Vilarinho
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
BBC
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
BBC
Blog do Prem Baba
Blog Luiz Sperry
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
BBC
BBC
Topo