Vida saudável

Brasil precisa de grande trabalho de adaptação, diz Ministério do Meio Ambiente

Lilian Ferreira

Do UOL Ciência e Saúde, em Cancún

Eventos climáticos extremos mais frequentes e intensos, como grandes tempestades, podem ser atribuídos ao aquecimento global. E é preciso estar preparado para não sofrer suas consequências como desmoronamento de terras, enchentes e destruição de casas.

“Estamos começando com ações importantes no Brasil. Temos um grande trabalho a ser feito em adaptação no país”, diz Branca Bastos Americano, secretária de mudanças climáticas e qualidade ambiental do Ministério do Meio Ambiente.

O Fundo Nacional de Mudanças Climáticas prevê investimentos mais pesados de adaptação para o próximo ano. As ações são, sobretudo, aplicadas nas regiões semi-áridas do nordeste, zonas litorâneas e de baixadas e grandes cidades.

“Cinco planos setoriais estão sendo delineados no plano nacional de adaptação. Precisamos de estudos de vulnerabilidade nestas áreas para começar a pensar no que deve ser feito e, então, incluir isto no planejamento das cidades”.

O meteorologista Carlos Nobre, pesquisador do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas aeroespaciais) e membro do IPCC, explica que no Brasil as chuvas devem ficam mais intensas no verão e a estiagem deve dominar o inverno. “O clima fica mais sazonal. Quem mora na periferia das grandes cidades já sofre com o deslizamento de encostas e outros desastres naturais no período de chuva. Já o semi-árido do nordeste teria ainda menos água”.

Segundo a secretária, não podemos atribuir ao aquecimento global cada evento isolado que vimos ocorrer no Brasil nos últimos anos (com enchentes em grandes cidades do nordeste ao sul, desabamentos e desmoronamento de terra que destruíram cidades). “Os eventos extremos estão mais frequentes e intensos por que a grande concentração de gases do efeito estufa na atmosfera aumenta a probabilidade de que eles ocorram”.

Assim, Branca conclui que enfrentamos uma desordem no clima que vem também com o aumento no nível do mar, e é preciso planejar o que se fazer antes que a situação se agrave.

do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
UOL Estilo
UOL Estilo
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
Estilo
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Folha de S. Paulo
ESPNw
Topo