Boa forma

Ela perdeu 24 kg após ser constrangida por vendedora de roupas "sou capaz"

Depoimento a Thamires Andrade

Do UOL

03/01/2017 06h02

Vencer a compulsão alimentar é uma luta para quem está tentando emagrecer. E foi exatamente essa uma das maiores vitórias da corretora de seguros Mayara Oliveira, 28, de Araguari, em Minas Gerais. Com a ajuda de um projeto que criou no Instagram, o @nalinhacomamay, ela passou a registrar tudo que comia e ficou ainda mais engajada na reeducação alimentar.

Com 24 quilos a menos, Mayara conta como conseguiu superar a compulsão, emagrecer e virar adepta de um estilo de vida mais saudável:

"Sempre fui magra e cuidei muito da estética até a minha segunda gravidez. Depois da gestação, dei uma engordada, mas logo voltei ao meu peso e resolvi fazer uma abdominoplastia para tirar excesso de pele. Só que fiquei grávida novamente, sendo que não podia engravidar pelo menos por um ano e meio depois da cirurgia por recomendações médicas.

Minha gestação foi conturbada, tomei muita medicação para que o bebê amadurecesse o pulmão, pois ele iria nascer prematuro. Um mês depois que dei à luz, ele morreu por um erro médico na UTI neonatal e foi onde comecei a usar a comida como válvula de escape. Comia para suprir a dor que eu sentia. Tinha vezes que nem estava com fome, mas só queria comer, pois aquilo me aliviava.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Em 10 meses, engordei 22 quilos. Perdi a plástica e toda aquela preocupação com relação à estética que tinha. Por três anos fiquei acima do meu peso, sem autoestima e sem me cuidar. Decidi que eu precisava fazer algo por mim quando cheguei em uma loja para comprar roupa e a vendedora não quis me atender. Ela perguntou: ‘É para você? Não tem nada!’.

Entrei em um processo de buscar melhorias para mudar minha vida, não só fisicamente, mas psicologicamente. Sabia que eu precisava de uma mudança para sair da onda depressiva que eu estava.

Emagreci 23 quilos em oito meses sem ajuda profissional. Fazia muita coisa errada, como essas dietas da moda, cortar completamente o carboidrato, cheguei a ficar sem comer. Também não fazia exercício durante esse período, não gostava. E como não tinha acompanhamento profissional, eu me enganava: o exercício era para fazer 3 séries de 15 repetições, eu fazia uma e já pulava para outro aparelho.

Descobri que, de fato, tinha emagrecido, mas da forma errada. Meu índice de gordura estava lá em cima e eu tinha perdido muita massa magra.
Comecei a perceber que meu corpo não estava legal, tinha muita flacidez. Como já tenho histórico de reumatismo, senti que tinha perdido um pouco das forças e resolvi procurar um personal trainer, que me indicou a uma nutricionista para mudar minha alimentação, pois ele viu que eu não estava comendo da forma correta.

Comecei a fazer atividade física com acompanhamento e virei amante da musculação e até passei a correr também. Descobri que gostar de algo é só uma questão de aprendizado. Quando a gente coloca na cabeça que não gosta daquilo, ai não dá certo mesmo. É igual com a alimentação, se você já começa a dieta pensando que é ruim e não dará certo, você não conseguir. 

Arquivo Pessoal
Depois que começou a praticar exercícios, Mayara Oliveira se apaixonou pela musculação Imagem: Arquivo Pessoal

Sempre reclamava para o meu marido sobre o meu excesso de peso e ele falava que ele me amava do jeito que eu era, mas que se eu não estava feliz com aquilo, a mudança só poderia ser feita por mim mesma. Então coloquei na minha cabeça um mantra: eu vou conseguir, eu sou capaz e se eu não fizer por mim, ninguém mais vai fazer.

Hoje, eu me orgulho de dizer que emagreci sem ajuda de cirurgia. O segredo é a reeducação alimentar, pois tudo que restringe demais não vai fazer bem, nada em exagero é positivo. Portanto, me permito sair da dieta e buscar o equilíbrio. Não sou bitolada até por que gosto muito de comer. Quando sinto vontade de comer algo fora da dieta, como, mas aprendi que nunca vou comer como antes. Por exemplo, se eu quero uma pizza, não como quatro pedaços como antes, mas sim um e fico satisfeita.

Foi uma surpresa o projeto no Instagram (@nalinhacomamay) ter dado certo. Criei a página em março de 2015 e passei a postar minhas refeições como uma maneira de me policiar. Hoje é moda ser blogueira fitness, mas sempre falo muito para os meus seguidores que é preciso buscar ajuda profissional, pois eu sofri na pele o que a falta de acompanhamento faz.

Além do Instagram, tenho o meu trabalho e a minha família, por isso, ter programação é tudo. Faço todas as minhas marmitas e tenho sempre lanchinhos práticos e saudáveis comigo. Ainda quero perder três quilos e, para isso, além de ter uma alimentação saudável, treino três vezes na semana –musculação, corrida e crosstraining.

Antes, eu usava a comida como válvula de escape nos dias tristes, hoje, uso a vontade de estar sempre melhor como um incentivo, mesmo nos dias que não estou me sentindo tão bem."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Especiais
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
UOL Estilo
Topo