Vida saudável

Não é loucura: entenda por que você pode engordar ao fazer exercícios

Helô Oliveira

Colaboração para o UOL

24/01/2017 04h01

Quem acabou de se matricular na academia para perder aqueles indesejados quilos extras pode entrar em parafuso ao perceber que, apesar de todo o esforço, a balança ainda não entendeu o recado. Em vez de abaixar, por que os ponteiros estão subindo? A resposta é muito mais positiva do que se imagina: você pode estar ganhando músculos. E esquecer a pesagem – pelo menos por enquanto – é a melhor decisão a ser tomada.

É músculo ou gordura?

“Quando começamos a fazer uma atividade física, os músculos passam a se desenvolver e, com isso, nosso peso aumenta. Isso pode confundir o praticante e fazê-lo achar que está engordando”, explica o médico do esporte e do exercício Guilherme Corradi, de São Paulo. Portanto, nada de surtar, ok? Esse fenômeno é supernatural e tende a durar um tempo. “Se a pessoa estiver com o índice de massa muscular muito baixo, o peso pode aumentar por até seis meses”, ressalta o educador físico André Trombini, da Rede BodyTech. Durante esse período de adaptação, o melhor termômetro é o espelho. “Ficar feliz com o que você vê é muito mais importante do que aquilo que a balança aponta”, garante Corradi. Isso porque a massa muscular tem o mesmo peso que a gordura, porém o músculo é mais compacto e ocupa menos espaço. Resultado? As roupas caem melhor, mesmo que os ponteiros insistam em dizer o contrário.

Xiii, é gordura!

Em alguns casos, o aumento de peso está relacionado, de fato, ao acúmulo de pneuzinhos – e a causa é muito compreensível. Afinal, quem nunca chegou do treino faminto e atacou tudo o que encontrou na geladeira? “Fazer exercícios aumenta o apetite, uma vez que o organismo precisa de mais calorias para recuperar a musculatura após o esforço”, diz Corradi. Por isso, é fundamental ficar de olho no prato. “A ingestão de proteínas é essencial para a recuperação e construção dos músculos. Minha dica é incluir uma fonte proteica em cada refeição. Carnes magras, ovos, peixe, leite e derivados, barrinhas de proteína ou sementes, como as de girassol, abóbora e cânhamo, fazem um bom trabalho”, aconselha a nutricionista Isabelle Zanoni Rodrigues Oliveira, de São Paulo. Já os carboidratos complexos, como pão integral e batata-doce, prolongam a sensação de saciedade e evitam que o organismo use tecido muscular como fonte de energia. Ah, e lembre-se de comer de três em três horas para deixar o organismo ligeiro! “Chás de canela, gengibre e hibisco também ajudam a turbinar o metabolismo”, indica Isabelle.

Para ganhar mais músculos

 

“Se seu objetivo ao treinar for ganhar músculos e não apenas emagrecer, é preciso equilibrar atividades de resistência e aeróbica”, afirma Marcos Henrique Ferreira Laraya, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE). Na primeira categoria de exercícios, a musculação ainda é uma das mais eficazes. Isso porque, para que a hipertrofia aconteça, é preciso executar os movimentos com sobrecarga, poucas repetições e intervalos mais longos – algo simples de fazer nessa modalidade. Já os exercícios aeróbicos, como corrida e dança, evitam que o percentual de gordura suba e promovem uma grande queima calórica, sendo ótimos para mandar a temida “pochete” embora. 

Para ter certeza de que o treino está gerando resultados, conte com a ajuda de médicos, profissionais de educação física e nutricionistas. Eles ficarão de olho em métricas precisas, que vão muito além do clássico IMC (Índice de Massa Corpórea). A cada dois meses, avalie seu desempenho por meio do exame de bioimpedância, que revela o percentual exato de músculos e gordura presentes no corpo.

Massa gorda e massa magra: Quais as diferenças?

Massa gorda: é o peso de gordura que temos no corpo. Em quantidades ideais, ajuda a proteger os órgãos. Em excesso, é responsável por causar diversos males à saúde, como diabete, hipertensão arterial, colesterol alto e problemas cardíacos.

Massa magra: é composta por músculos, órgãos vitais, ossos e líquidos corporais. Quanto maior nossa porcentagem de massa magra, maior e mais rápida é a queima calórica.

 

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo