Alimentação

Mistura de café com óleo de coco não ajuda a queimar gordura; entenda

Montagem/UOL/Getty Images
A combina??o de café com óleo de coco, que promete efeito termog?nico, n?o ajuda na perda de peso Imagem: Montagem/UOL/Getty Images

Thais Carvalho Diniz

Do UOL

28/03/2017 04h00

A combinação que leva café e óleo de coco como pré-treino ganhou as redes sociais e virou a queridinha de algumas famosas, como Yasmin Brunet e Fernanda Souza, que já usaram a mistura. A justificativa da adoração está na promessa de efeitos termogênicos, que aceleram o metabolismo e potencializam a queima de gordura quando associado à prática de exercícios físicos.

Assim como outras tendências que viraram mania por aqui, a receita veio dos Estados Unidos. Lá o nome é bulletproof coffee (café a prova de balas, em tradução livre do inglês) e leva manteiga. No Brasil, o que disseminou foi o uso com uma a duas colheres (sobremesa) de óleo de coco dissolvidas em 200 ml de café.

Mas será que funciona?

De acordo com a nutricionista funcional Bruna Vilela, os efeitos da cafeína --substância encontrada no café-- como estimuladora do sistema nervoso central já são conhecidos e comprovados. Portanto, o consumo do cafezinho possibilita, sim, maior estado de alerta e pode melhorar o desempenho em exercícios de força. 

"Já o óleo de coco, por ser um TCM (triglicerídeo de cadeia média), metaboliza mais rápido e causa sensação de saciedade, inibindo a fome. Mas não funciona para todo mundo. É necessário adequar a dieta conforme as necessidades de cada um", explica Bruna, que já teve entre seus clientes Fernanda Souza e Thiaguinho.

Óleo de coco emagrece? 

O consumo do óleo de coco é controverso. Tanto que a Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) --juntamente a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica)-- divulgou um posicionamento oficial a respeito quando o modismo começou. As entidades afirmam que "não há qualquer evidência nem mecanismo fisiológico de que leve à perda de peso".

"A Sbem e a Abeso posicionam-se frontalmente contra a utilização terapêutica do óleo de coco com a finalidade de emagrecimento.... Também não recomendam o uso regular como óleo de cozinha, devido ao seu alto teor de gorduras saturadas e pró-inflamatórias. O uso de óleos vegetais com maior teor de gorduras insaturadas (como soja, oliva, canola e linhaça) com moderação, é preferível para redução de risco cardiovascular", diz o comunicado.

O nutricionista e educador físico Marcelo Saldanha Aoki é professor da USP (Universidade de São Paulo) e estudou em seu mestrado os efeitos da suplementação de diferentes tipos de óleo sobre o desempenho da corrida. Durante os testes em cobaias percebeu que não houve melhora da performance e observou ganho de massa gorda pela dieta rica em óleo de coco. 

"A energia fornecida pelo óleo de coco é usada prioritariamente no fígado, e não nos músculos que realizam o esforço durante o exercício físico". Por isso é recomendado consumir uma fonte de carboidrato, como banana ou pão integral, antes de fazer exercícios, com o objetivo de gerar energia para os músculos realizarem as atividades. Desta forma, se só ingerir a gordura, o corpo vai queimar a própria massa magra para se manter.

Além disso, Aoki ressalta que o organismo tolera apenas 30 g de uma dose única de TCM. "Essa quantidade é relativamente pequena para fornecer energia para a realização da atividade física".

Quanto a saciedade o professor aconselha outros nutrientes. "A proteína é muito mais interessante para gerar esse efeito do que a gordura. No caso, o óleo de coco é metabolizado mais rápido e a ausência de fome vai durar menos tempo. E aliás, quem quer emagrecer vai comer mais gordura? Não faz sentido", completa.

O abuso da fórmula 

Que nada em excesso é saudável, já sabemos. E no caso dos alimentos citados, segundo a nutróloga Andreia Guarnieri, a combinação pode predispor à diarreia por ter sobrecarga de gordura saturada. Além disso, abusar pode favorecer problemas cardiovasculares.

"As pessoas que quiserem usar alimentos ou suplementos termogênicos devem procurar um médico. Doenças como glaucoma e hipertensão podem se agravar com os efeitos, por exemplo", afirma.

Como na maioria dos casos, quando o assunto é dieta a chave da questão está em um conjunto de escolhas acertadas para alcançar a tão desejada boa forma. "Não existe milagre. Nenhum alimento é emagrecedor, as pessoas precisam entender isso", reforça a nutricionista Alessandra Luglio.

No caso do pré-treino, momento sugerido para ingerir a combinação café + óleo de coco, Alessandra lembra que é importante valorizar o carboidrato. "Depende do objetivo e período de treino --manhã, tarde ou noite--, mas frutas, tubérculos e aveia, por exemplo, sempre são aconselhados. Durante a atividade física, os músculos vão utilizar esse tipo de alimento para ter energia".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
RedeTV! Entretenimento
Estilo
do UOL
UOL Comidas e Bebidas
UOL Comidas e Bebidas
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
Estilo
BBC
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Band Terra Viva
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
Estilo
do UOL
do UOL
Estilo
Estilo
Estilo
RedeTV! Entretenimento
RedeTV! Entretenimento
RedeTV! Entretenimento
BBC
Topo