Vida saudável

Saiba preparar o kombucha, refrigerante natural com efeito detox

Getty Images
Imagem: Getty Images

Gabriela Guimarães e Rita Trevisan

Colaboração para o UOL

02/05/2017 04h00

Receita que veio do Oriente, essa bebida à base de chá passa por um processo de fermentação em que ocorre a proliferação de bactérias benéficas, que ajudam a equilibrar o funcionamento intestinal. “Nesse processo, também se formam vitaminas, do complexo B e C, por exemplo, que ajudam a manter a disposição e a energia, além de favorecer a desintoxicação do organismo”, explica o clínico geral e nutrólogo Roberto Navarro, membro da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia). O especialista também atesta o efeito benéfico do chá para a melhora da imunidade.

A seguir, a chef em gastronomia funcional Malu Lobo ensina, passo a passo, como prepará-lo.

Você vai precisar de:

  • Recipiente de vidro ou cerâmica de boca larga para acondicionar pouco mais de 1 litro da bebida (inox e alumínio devem ser evitados, pois oferecem mais risco de contaminação)
  • Peneira
  • Funil
  • Colher de sopa
  • Voal (pano poroso e leve) ou papel toalha
  • Elásticos para prender o pano ou papel no vidro
  • 1 litro de água filtrada
  • 12 g (1 colher de sopa cheia) de chá verde, preto, mate ou branco
  • 120 g de açúcar demerara, cristal ou mel de boa procedência
  • 1 colônia de kombucha (também chamada de mãe ou scoby)

A colônia é vendida em lojas de produtos naturais, como a Companhia dos Fermentados. No Facebook, também há grupos públicos e fechados que reúnem interessados em receber e doar o scoby, em todo o país.    

Como preparar:

  1. Aqueça 300 ml de água até o ponto de fervura.
  2. Desligue e adicione o chá e o açúcar escolhidos. Mexa para dissolver e abafe por 10 minutos.
  3. Adicione o restante da água.
  4. Peneire o chá e transfira o líquido adoçado para um recipiente de vidro ou cerâmica.
  5. Use 2 colheres (sopa) de qualquer vinagre para acidificar a bebida.
  6. Com o líquido frio ou em temperatura ambiente, adicione a sua colônia.
  7. Tampe com o tecido ou o papel toalha e prenda com um elástico em volta do vidro.
  8. Deixe em local mais escuro e reservado, por pelo menos sete dias. No sétimo dia, prove o sabor da bebida.

“Se quiser deixar mais alguns dias antes de beber, você pode fazer isso, principalmente se ela estiver muito doce para o seu gosto”, diz Malu. Quanto mais tempo fermentando, mais ácida ela se tornará.

Quando seu kombucha estiver no ponto, basta retirar a cultura, transferir o líquido para outra garrafa e, se quiser, preparar um novo lote. “A cada duas ou três fermentações, lave seu scoby em água filtrada, retirando as pelezinhas mais amarronzadas”, explica a chef. Se depois de algumas semanas a cultura não flutuar ao ser adicionada ao chá ou se deixar de produzir a película característica, é hora de descartá-la. 

Mude o sabor com frutas e especiarias

Para deixar a bebida ainda mais parecida com um refrigerante e com sabor que agrade o seu paladar, você pode adicionar novos ingredientes à receita. A dica da chef é incrementar o kombucha -- depois de pronto e já sem a cultura -- com uma quantidade adicional de açúcar ou mel, frutas processadas em forma de suco ou em pedaços (maçã, melancia, carambola, abacaxi) e especiarias (cravo, canela). “Na geladeira, a bebida dura de três a quatro dias”, explica. 

Cuidados no consumo

Para fazer o kombucha de maneira segura, é preciso cuidado redobrado com a higiene das mãos, do local em que será preparada a bebida e dos utensílios. “Imagine que você vai criar um ambiente propício à proliferação de uma cultura. Só que se houver micro-organismos nocivos ali, eles irão se multiplicar também”, explica a nutricionista Flávia Sgavioli, especializada em Clínica Funcional e Fitoterapia.

Além de lavar bem as mãos, a recomendação dos especialistas é ferver e limpar todos os utensílios que terão contato com o chá e o scoby, utilizando álcool 70%.

O nutrólogo Roberto Navarro indica o consumo de até 150 ml da bebida por dia. “O excesso pode ser prejudicial, provocando sintomas como estufamento, gases, cólicas e diarreia”, esclarece.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
Topo