Vida saudável

Óleo de coco não ajuda a emagrecer e faz tão mal à saúde quanto manteiga

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

19/06/2017 18h28

O óleo de coco ficou famoso como uma opção saudável e foi figurinha repetida em receitas fit e dietas de blogueiras. Mas o produto não é milagroso e nem saudável.

De acordo com um estudo publicado pela American Heart Association (Associação Cardíaca Americana), o óleo de coco tem o mesmo efeito na saúde que gordura animal e manteiga. A substância, que contém ácidos como o mirístico e o ácido láurico, é composta de gordura saturada e por isso pode aumentar o colesterol “ruim”, segundo os pesquisadores.

O relatório mostra que 82% da gordura do óleo de coco é saturada. O percentual é maior do que o da manteiga (63%), da gordura bovina (50%) e da banha de porco (39%).

A associação diz que não há evidências confiáveis de que o óleo de coco seja saudável.

E não é só a associação americana que alerta para as promessas do óleo, a ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) divulgou um posicionamento oficial desmistificando o uso do produto.

De acordo com a ABRAN, o óleo de coco aumenta o colesterol e há um número muito pequeno de estudos que mostrem seus efeitos no peso corporal em seres humanos.

Uma das poucas pesquisas existentes foi feita com a população de Ilhas do Pacífico e a resposta foi negativa. Aqueles que consumiam quantidades elevadas de coco (63% de energia derivada do coco, quanto o comum na região era 34%), eram mais pesados e tinham mais “dobrinhas” de gordura na região subescapular.

E a lista de associações que condenam o consumo do óleo de coco para emagrecer não para por ai.

Em comunicado, a Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), juntamente a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), divulgaram que “não há qualquer evidência nem mecanismo fisiológico de que leve à perda de peso” e que se posicionam “frontalmente contra a utilização terapêutica do óleo com a finalidade de emagrecimento”.

Além disso, a ABRAN completa seu posicionamento afirmando que não há estudos clínicos que comprovem a fama que o óleo de coco tem de ser antibacteriano, antifúngico e antiviral. Também não existem provas de que seu efeito ajude portadores de alterações cognitivas, como a Doença de Alzheimer.

Por isso, o melhor é saber o que você está comendo do que acreditar em milagres para a perda de peso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Notícias
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo