Boa forma

Treino HIIT além do "tiro" na esteira: técnica serve para vários exercícios

Getty Images
É comum quem faz treino HIIT na esteira ficar mudando de velocidade sem parar Imagem: Getty Images

Thamires Andrade

Do UOL

08/08/2017 04h00

Você já viu na academia alguém aumentando e diminuindo a velocidade da esteira? Então, essa pessoa não estava confusa com o aparelho, mas sim executando o treino HIIT (High-Intensity Interval Training, treino intervalado de alta intensidade, no português). Essa é a bola da vez para quem quer secar.

O método consiste em uma série de exercícios de alta intensidade, o que exige a necessidade de intervalos para que o praticante possa se recuperar dos esforços e terminar toda a sequência de atividades. E é essa alta intensidade mesclada com descansos ativos (diminuir a velocidade na esteira, por exemplo) ou passivos a grande diferença do HIIT.

HIIT vai bem além da esteira....

Tradicionalmente, o HIIT é feito em atividades aeróbicas, mas Valéria Panissa, pós-doutoranda na EEFE (Escola de Educação Física e Esporte) da USP (Universidade de São Paulo) e pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Fisiologia do Exercício Intermitente de Alta Intensidade da USP, deixa claro que o termo HIIT não representa apenas uma atividade específica.

"Existe uma grande variedade de protocolos que podem ser caracterizados como HIIT. Ele não pode ser rotulado como apenas um exercício aeróbico. Pode ser feito em pedalada, remo ou até natação", exemplifica.

Getty Images
Treinos de musculação também podem ter formato HIIT, mas é preciso auxílio Imagem: Getty Images
Ricardo Zanuto, profissional de Educação Física e doutor em Fisiologia do Exercício pela USP (Universidade de São Paulo), fala que o método também pode ser feito em aparelhos de musculação, mas, para isso, é necessário acompanhamento. “Como a premissa do HIIT é ter um estímulo de alta intensidade, na hora de fazer essa atividade com cargas, precisamos prezar pela segurança. Por isso é preciso ter o acompanhamento bem próximo de um profissional de Educação Física”, explica.

Treino ajuda a reduzir gordura e apetite

O principal objetivo desse método de treinamento é melhorar o condicionamento físico e aumentar o gasto energético. “O HIIT é um exercício com um potencial muito grande para melhorar a aptidão física”, explica Valéria. Ela ainda diz que o HIIT é muito usado por quem quer emagrecer por conta de estudos na área que teriam demonstrado que ele reduz gordura, principalmente abdominal.

“Isso fez com que o método ficasse famoso e rotulado como 'o melhor para emagrecer'. Mas, atualmente, temos evidências que essa diferença parece não existir ou não ser tão impactante quanto parecia. O tema é polêmico e, por isso, ainda precisamos de mais estudos a respeito.”

A boa notícia, no entanto, é que o HIIT também poderia ajudar na redução do apetite. “Alguns estudos mostram que, após uma sessão de HIIT, as pessoas sentem menos fome, já que o exercício ajudaria na liberação de hormônios que controlam a saciedade. No entanto, ainda novas pesquisas devem surgir a respeito desse tema”, explica Valéria.

E por que ele caiu no gosto da população?

Na opinião de Zanuto, o método HIIT está bombando nas academias pelo fato de a maioria das pessoas não ter tempo para treinar. “Cada vez mais os alunos buscam treinos rápidos e que os ajudem a alcançar seus objetivos”, diz.

Mas o doutor em Fisiologia do Exercício explica que não é só por que você faz um treino HIIT que está livre de outras atividades. “Dependendo do objetivo da pessoa, pode ser necessário complementar com outros tipos de treinamento”, fala.

Contraindicações

Antes de iniciar um treino de HIIT, assim como qualquer outra atividade física, é necessário passar por uma avaliação com um profissional de Educação Física. Ele irá analisar a viabilidade desse tipo de treino, bem como se ele irá ajudar o aluno a atingir seus objetivos.

Getty Images
Natação, bike, corda e outras atividades aeróbicas também podem ser feitas em HIIT Imagem: Getty Images
“Pessoas com doenças crônicas não controladas, como asma, cardiopatias e artrose, ou com lesões, como como fratura por estresse, não são orientadas a iniciar esse tipo de atividade intensa”, explica Valéria.

Opções de treino HIIT

Zanuto dá uma sugestão de treino HIIT para quem se interessou pela prática: fazer de 15 a 20 séries de 30 segundos e com 30 segundos de descanso ativo entre as séries. Vale corrida, bike, natação, corda ou qualquer outra atividade aeróbica.

“Quanto aos treinos de musculação, não é seguro sugerir um treinamento porque, para ele ser considerado de alta intensidade, será preciso observar vários fatores, como condicionamento e coordenação motora”, explica.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Bloomberg
do UOL
do UOL
Bloomberg
do UOL
do UOL
Topo