Vida saudável

Evitou cirurgia: atriz com torção ovariana mostra importância de ouvir dor

Kevork Djansezian/Getty Images/AFP
Imagem: Kevork Djansezian/Getty Images/AFP

Gabriela Ingrid

Do UOL

25/09/2017 12h47

Prestar atenção no que o seu corpo está dizendo pode evitar procedimentos invasivos. Foi o que aconteceu com a atriz Busy Philipps, que recentemente evitou uma cirurgia porque correu para o médico ao menor sinal de dor.

Tem alguma dúvida sobre a saúde do seu corpo? Mande sua pergunta para o e-mail pergunteaovivabem@uol.com.br que nós encontraremos os melhores especialistas para respondê-la.

A loira comanda um podcast chamado “Nós não somos médicos”, que tem como tema justamente a importância de ir ao hospital e evitar a automedicação. Em um post no Instagram, Busy descreveu o ocorrido: “Se você escuta meu programa, sabe que nosso conselho é sempre não ser um herói e ir ao médico. Eu senti uma dor horrível na parte direita do meu abdômen e fui diagnosticada com torção ovariana”, disse. “O meu voltou sozinho ao normal, mas às vezes é preciso encarar uma cirurgia ou você corre até o risco de perder o ovário.”

A atriz ainda disse que se sentiu exagerada em ir ao hospital, mas foi a escolha certa. “Essa sempre é a melhor opção. Mesmo que seja para chegar lá e mandarem você de volta para casa”, escreveu.

 

Uma publicação compartilhada por Busy Philipps (@busyphilipps)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

em

Torção ovariana é rara e perigosa

Você sabia que o seu ovário pode torcer? Apesar de ter uma incidência muito baixa (0,167%), o evento é grave e pode até necrosar o órgão. “Por certos motivos, a haste do ovário se torce e sua irrigação fica comprometida, podendo causar necrose e forçando sua remoção”, explica Andrea Nácul, membro da Comissão de Ginecologia Endócrina da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

Segundo a ginecologista, o problema geralmente ocorre quando o ovário está com um volume maior, devido a cistos, tumores, folículos causados pelo tratamento de reprodução assistida, gravidez nas trompas, cicatrizes na pelve ou malformações dos órgãos pélvicos.

A forma mais comum de saber a existência da torção é o aparecimento da dor, e aí entra a importância de não negligencia-la. “A torção de ovário é uma emergência médica. Quanto antes for feito o diagnóstico, menor a chance de perda do ovário por necrose”, diz Andrea. “A melhor prevenção é o exame ginecológico de rotina, que pode detectar aumento desse órgão e a presença de cistos ou tumores.”

 

Uma publicação compartilhada por Busy Philipps (@busyphilipps)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

em

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Agência Estado
do UOL
do UOL
Blog do Prem Baba
Estilo
Estilo
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
do UOL
Estilo
Blog Luiz Sperry
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Nutrição sem neura
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
BBC
Estilo
Estilo
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
Blog Luiz Sperry
do UOL
BBC
BBC
BBC
do UOL
Topo