Vida saudável

Por que há magros que comem de tudo? O segredo pode ser a flora intestinal

Getty Images
Nossa microbiota se modifica de acordo com a nossa alimentação Imagem: Getty Images

Thamires Andrade

Do UOL

29/09/2017 13h12

Sabe aquela pessoa que come de tudo e não engorda? Já dá para esquecer aquele papo de “magro de ruindade”. A ciência indica que se manter magro ou estar acima do peso pode estar relacionado às bactérias presentes na nossa flora intestinal. O tema foi debatido no 21º Congresso Brasileiro de Nutrologia, que acontece até sábado (30), em São Paulo (SP).

Tem alguma dúvida sobre a saúde do seu corpo? Mande sua pergunta para o e-mail pergunteaovivabem@uol.com.br que nós encontraremos os melhores especialistas para respondê-la.

O pesquisador Paul Wischmeyer explica que o microbioma humano é formado pelas bactérias que compõem nosso organismo, juntamente com nossas células, tecidos e órgãos. Flávia Alvarenga nutróloga e médica do hospital Samaritano no Rio de Janeiro, explica que a microbiota foi descrita pela primeira vez por Ilya Metchnikoff, que ganhou um prêmio Nobel de medicina pelo feito. Ele descreveu o papel da nossa flora intestinal no desenvolvimento de várias doenças e, ao observar uma longevidade maior na Bulgária, notou que aquela população ingeria algumas bactérias presentes em alimentos como o iogurte e que eles poderiam promover o equilíbrio da flora.

A partir desse estudo, uma série de outras pesquisas foram realizadas e mostraram que a nossa flora intestinal se modifica ao longo da vida e, principalmente, de acordo com o tipo de alimentação que temos.

A microbiota de um paciente magro, por exemplo, é diferente de um com obesidade. “Com essa informação, a gente pode pensar em uma alimentação mais rica em fibras para evitar a disbiose, que é justamente o desequilíbrio na flora”, explica Maria del Rosario Zariategui de Alonso, nutróloga da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia) especializada no tratamento da obesidade.

Para tentar entender se é possível mudar a colonização da flora intestinal, Juliana Machado, nutróloga da Abran, cita uma série de estudos de transplante fecal feitos em ratos. “O transplante pegou a microbiota de ratos magros e transplantou para os ratos obesos e eles começaram, de fato, a emagrecer. No entanto, ainda são necessários mais estudos para falar que a mudança na flora intestinal é o bastante para tratar a obesidade”, reconhece.

Algumas empresas já oferecem o sequenciamento do microbioma para identificar se existe propensão a engordar, além de uma série de outras doenças, como o diabetes. “Para emagrecer, não basta ingerir menos calorias do que gasta. Há bactérias no intestino que são capazes de quebrar mais a gordura, o que faz com o que corpo absorva mais. Essa pode ser uma explicação do por que algumas pessoas comem e não engordam. Com essas informações em mãos, o médico pode prescrever uma dieta para aumentar o tipo de bactérias que reduz essa absorção de gordura”, explica Alan Hiltner, sócio da Bioma4me, uma das empresas que oferece esse tipo de serviço.

 A vantagem aparente de usar esse serviço, segundo Wischmeyer, é descobrir a diversidade do microbioma. “Um intestino saudável é um intestino diversificado, com muitos tipos de micro-organismos. A partir de um sequenciamento nós conseguimos descobrir exatamente quão diverso é o seu microbioma”, fala.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Agência Estado
do UOL
do UOL
Blog do Prem Baba
Estilo
Estilo
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
do UOL
Estilo
Blog Luiz Sperry
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Nutrição sem neura
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
BBC
Estilo
Estilo
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
Blog Luiz Sperry
do UOL
BBC
BBC
BBC
do UOL
Topo