Vida saudável

HIV não é transmitido sexualmente, se carga viral for indetectável

iStock
Imagem: iStock

Do UOL

09/10/2017 10h46

Experimentos clínicos ao longo dos anos mostraram que pessoas com HIV que fazem terapia antirretroviral e têm uma carga viral indetectável não podem transmitir sexualmente o vírus a uma pessoa HIV negativa. Anunciado em julho na 9ª Conferência da Sociedade Internacional da Aids, o resultado agora é a política oficial dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), nos Estados Unidos.

O CDC aderiu ao lema indetectável = intransmissível (I = I), um passo que ajudará a desafiar o estigma que as pessoas infectadas com o HIV ainda enfrentam hoje. De acordo com o órgão, “indetectável” é a condição dos soropositivos que atingiram a supressão do vírus, graças à terapia antirretroviral, o "coquetel" anti-HIV.

"Em três estudos diferentes, incluindo milhares de casais, atos sexuais sem o uso de preservativo ou PreP (profilaxia pré-exposição ao HIV) --estratégia para evitar o contágio, com a utilização de um medicamento antirretroviral por pessoas não infectadas--, não foram observadas transmissões para um parceiro sem o vírus, quando a pessoa HIV positiva foi reprimida viralmente", disse a carta do CDC sobre a prevenção do HIV/AIDS. "Isso significa que as pessoas que tomam o antirretroviral diariamente e mantêm uma carga viral indetectável não têm efetivamente risco de transmissão sexual do vírus para um parceiro HIV negativo".

iStock
Pessoas que tomam o antirretroviral e mantêm uma carga viral indetectável não transmitem o vírus sexualmente Imagem: iStock

Estigma atrapalha o tratamento

A declaração do CDC também acrescentou que as instituições e a ignorância ainda impedem as pessoas de obter o cuidado e o tratamento de que precisam. Eles notaram os obstáculos que muitos enfrentam para ter acesso ao antirretroviral: sistemas de saúde inadequados, pobreza, racismo, homofobia, bifobia, transfobia e criminalização.

"Educar a população em geral sobre "I = I" tem o potencial de colocar um fim no estigma que seguiu as pessoas que vivem com o HIV nos últimos trinta anos. Uma vez que as pessoas sabem que você não é infeccioso, elas são mais capazes de enxergar além do vírus e ver quem você é", disse o ativista de HIV Tom Hayes ao site “IFLScience”.

"Mais e mais órgãos públicos estão reconhecendo e apoiando a mensagem "I = I", dando mais credibilidade. O que precisamos agora é uma campanha de informação pública em todas as formas de mídia para mostrar ao público em geral que o "I = I" muda tudo."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
do UOL
Estilo
Blog Luiz Sperry
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Nutrição sem neura
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
BBC
Estilo
Estilo
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Prem Baba
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Bella Falconi
Blog Luiz Sperry
do UOL
BBC
BBC
BBC
do UOL
do UOL
Blog Nutrição sem neura
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Topo