Gravidez e filhos

Americana cria projeto fotográfico que retrata a dor de perder um filho

Reprodução/Instagram
Cassie, uma das mulheres clicadas para o Empty Photo Project Imagem: Reprodução/Instagram

do UOL, em São Paulo

20/10/2017 13h14

A fotógrafa americana Sue Butterworth transformou a dor de dar à luz um bebê que nasceu morto, em março de 2017, em um projeto fotográfico dedicado a canalizar a dor. Assim nasceu o Empty Photo Project.

No site do projeto, que também está no Instagram (@emptyphotoproject), ela explica sua motivação. "Espero criar um diálogo, abordar de frente a perda de uma criança, dar rosto a ela e mostrar à comunidade que as pessoas que perderam seus filhos estão por toda parte, muitas vezes, ao nosso lado sem que saibamos. É real. Não vamos fugir de falar disso". 

Nas imagens, mães (e, até agora, um pai) seguram um espelho — que depois é alterado digitalmente no Photoshop para refletir o estado emocional descrito pelos retratados em seus depoimentos sobre o que significa, para cada um, este "vazio" que o filho deixou em suas vidas.

Conheça algumas histórias:

Veja também

Chantelle

Reprodução/Instagram
Chantelle, uma das mulheres do Empty Photo Project Imagem: Reprodução/Instagram

Amelia, a filha de Chantelle, morreu com 6 meses de vida, por causa de dificuldades respiratórias. "Em alguns dias, a inveja e a amargura sobre o quão injusta é nossa situação está me tornando em uma pessoa que eu nem reconheço".

Emily

Reprodução/Instagram
Emily, uma das mulheres do Empty Photo Project Imagem: Reprodução/Instagram

Ela perdeu o bebê ainda no meio da gestação. "Um aborto espontâneo é cada esperança e sonho que você teve para o seu filho sendo destruído em algumas palavras". 

Katrina

Reprodução/Instagram
Katrina, uma das mulheres do Empty Photo Project Imagem: Reprodução/Instagram

Ela conta o processo difícil em que tomou a decisão de colocar seu bebê para a adoção aberta, mantendo contato com a família dele. "Eu posso ter voltado para casa de mãos vazias, mas meu coração nunca esteve tão cheio".

Michelle

Reprodução/Instagram
Michelle, uma das mulheres do Empty Photo Project Imagem: Reprodução/Instagram

Maddox, o bebê de Michelle, nasceu prematuro e não resistiu às complicações da gestação. Ele foi a terceira perda da mãe, que já passou por duas cirurgias para corrigir uma alteração uterina que acaba resultando em dificuldades para manter os bebês saudáveis. "Ele viveu por onze dias, mas viverá para sempre em mim, trazendo propósito para o que eu faço para sempre". 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo