Moda

Fotógrafo que dirigiu clipe de Anitta é banido da Vogue e outras revistas

Reprodução/Instagram
Terry Richardson e Miley Cyrus Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL

24/10/2017 10h14

Conhecido por suas fotos ultrasensuais e até explícitas, além das recorrentes acusações de assédio por modelos, o fotógrafo americano Terry Richardson foi banido das revistas do grupo Condé Nast, segundo o jornal britânico The Telegraph.

Veja também

O periódico teve acesso a e-mails de James Woolhouse, vice-presidente do grupo, a todos os chefes regionais de publicações que incluem Vogue, Glamour, além de Vanity Fair e Wired. Na mensagem, ele comunicava que o grupo não trabalhará mais com o fotógrafo e que trabalhos que já tenham sido feitos e não publicados sejam derrubados.

Segundo o jornal, a polêmica surgiu logo depois que uma outra publicação questionou por que o mundo fashion ainda se curvava diante de Terry apesar das recorrentes acusações de assédio, semelhantes, por exemplo, às feitas contra o produtor hollywoodiano Harvey Weinstein.

Recentemente, Terry Richardson esteve no Brasil para dirigir o clipe de Anitta, “Vai, Malandra”. O americano já é figurinha fácil no mundo da moda e assinou o tradicional Calendário Pirelli, inúmeras campanhas e capas de revista consagradas. Amigo do peito de várias celebridades, Terry é responsável pelas fotos e clipes mais quentes de famosos como Miley Cyrus, Bella Hadid, Rihanna e até Gisele Bundchen.

Reprodução/Instagram
Anitta em foto de Terry Richardson Imagem: Reprodução/Instagram

Fotógrafo se defende

Na última sexta-feira, Richardson publicou uma carta no Huffington Post  em que rebatia as acusações: “Eu colaborei com modelos que estavam plenamente conscientes da natureza do meu trabalho. Nunca usei nenhuma oferta de trabalho para coagir alguém a fazer qualquer coisa que elas não quisessem fazer”, escreveu.

Nem o grupo Condé Nast, nem representantes do fotógrafo comentaram o veto.

Assédio na moda

Cameron Russell, supermodelo americana que fez sucesso nas passarelas dos anos 90, tem um chamado às modelos de todo o mundo para lutar contra o assédio. Comovida pelas últimas denúncias de mulheres (contra o produtor Harvey Weinstein e, agora, contra o diretor James Toback) e, ainda, por um pedido de socorro de uma modelo, ela criou a #MyJobShouldNotIncludeAbuse - meu trabalho não deveria incluir abuso, em tradução livre.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
Ana Aoun
Moda
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
Ana Aoun
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Topo