Relacionamento

Nunca sabe se é hora de apresentar o crush para os pais? Veja no que pensar

Getty Images
Para saber a hora certa, é bom ter clareza do propósito e do interesse dos dois no que diz respeito à relação Imagem: Getty Images

Claudia Dias

Colaboração para o UOL

09/10/2017 04h00

Um relacionamento vai além da ligação entre duas pessoas. Quando há sinal de futuro, é normal envolver as famílias. Mas saber qual o melhor momento para apresentar o crush aos pais nem sempre é claro. Há quem não se importe em fazer isso com qualquer paquera. Outras pessoas preferem seguir o instinto da prudência e aguardam uma ocasião mais apropriada.

Diferentes jeitos

Após o segundo encontro, a artista plástica Silvana Lopes quis levar o atual marido até os pais, mas demorou dois meses até vencer a resistência familiar. "Tinha saído de um casamento e eles não estavam preparados. Mas nós tínhamos muita coisa em comum, e isso nos uniu. Fomos morar juntos dois meses depois, e são 29 anos, desde então".

A empreendedora Fernanda Voltarelli foi mais devagar: levou cerca de seis meses até considerar que era a hora. "Ele mesmo tirava sarro, que eu não queria apresentá-lo. Meus pais sabiam, não era nada escondido, mas antes de ter certeza absoluta de que era sério, não apresentei", lembra. O casamento aconteceu alguns anos mais tarde.

O editor de arte Fabio Bertolozzi é mais prático. "A hora de apresentar é quando a mãe não para de perguntar sobre o crush na mesa do café da manhã. Às 6 da matina!", resume, brincando.

Leia também:

A hora certa

A verdade é que, mais cedo ou mais tarde, o importante é ter bem definido que o relacionamento é algo que os dois querem levar adiante e a decisão de aproximar os pais é desejo mútuo --e não forçação de barra de apenas um dos lados.

O psicólogo Fernando Savino observa que, antes de tudo, é necessário mapear determinados cenários. "Normalmente, os familiares se apegam à pessoa e depositam expectativas no relacionamento. Se essa relação não estiver madura e com expectativas alinhadas, pode sofrer o impacto dessa 'pressão", fala.

Getty Images

Ele sugere que alguns passos sejam respeitados: seja transparente, tanto com o parceiro quanto com a família; tenha clareza do propósito e do interesse dos dois no que diz respeito à relação; respeite o tempo do outro para a aproximação. E o tempo da família, também, e esteja certo de que esse passo extra é saudável para a relação.

"Afinal, de que adianta apresentar a pessoa por quem você está apaixonado se ela não receberá o carinho e o respeito que ela merece? Ou, ainda, se essa pessoa não for retribuir esses gestos reciprocamente?", questiona Fernando.

O psicólogo Yuri Busin fala que é preciso preparar o terreno em ambos os lados. "A aceitação dos pais pode ser complicada e isso vai depender muito da preparação que a pessoa fizer. Por isso, antes de tudo, fale que existe alguém legal na sua vida, que é uma boa pessoa, que te respeita, ajuda a crescer e que vocês estão se conhecendo", diz.

Da mesma forma, ajuda bastante conversar com seu novo par sobre a cultura da família, sobre como os pais pensam, como costumam agir, como eles são, ou seja, fazendo com que osprimeiros encontros não sejam uma surpresa para nenhum dos lados. "Sem contar que muitos parceiros têm receio dessa situação. Então, conversem antes".

Sinais para esperar 

Yuri aponta e comenta alguns "sinais de alerta" de que ainda pode não ser a ocasião adequada. Nesses casos, melhor agir sem pressa:

Se não sente confiança que a relação vá dar certo. "É preciso ter certeza de que você quer levar adiante, antes de buscar a aprovação dos pais".

Não enfrentaram uma situação de estresse. "Todo relacionamento tem algum momento crítico e é nessas horas que se consegue visualizar como o casal consegue solucionar problemas e têm futuro".

Houve pouca conversa entre os dois. "Ninguém conhece uma pessoa da noite pro dia. Leva-se tempo. As pessoas precisam ter um pouquinho de experiência juntas, conversar, pois o diálogo é a chave para o sucesso de qualquer relação".

A família ainda é apegada ao ex. "Se existe o envolvimento da família com o ex ou se for levado um relacionamento atrás do outro para casa, isso pode trazer descredibilidade e insegurança por conta de outras experiências".

Pais passam por momento complicado. "A família está passando por dificuldades, um trauma, uma situação delicada? Talvez não seja a melhor hora de introduzir outra pessoa. Não precisa esperar o 'momento ideal', que não existe, mas é recomendado esperar um pouco".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Blog do Fred Mattos
Redação
do UOL
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
EFE
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Comportamento
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
"Fui marmita de traficante"
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo